Obah Lelê

Sábado teve o Obah Lelê, bloquinho de rua do hostel Obah, na Dinarte Ribeiro. Pra entrar no clima do Carnaval dá uma olhada no que rolou por lá:
DSC_8945

DSC_8926

DSC_8960

DSC_8956

DSC_8969

DSC_8970

DSC_8974

DSC_9016-2

DSC_9055

DSC_9060

DSC_9061

DSC_9082

DSC_9084

DSC_9136

DSC_9049

DSC_8917

DSC_9098

DSC_9110

DSC_9114

Fotos: Nicolas Colla

0 Comentários

QOD Barber Shop

Visitamos a QOD Barber Shop, uma barbearia com ares de outrora situada no coração do Moinhos de Vento.
Aberta há apenas três semanas, na Rua 24 de Outubro, já conta com uma clientela fiel, variando de homens que sentiam falta das boas e velhas toalhas quentes e navalha e jovens que estão começando a apreciar o melhor do cuidado estético masculino.
barbearia (1 de 39)
barbearia (2 de 39)João Marcos Santos Otto, Fernando Hilal e Heitor Morch são as mentes por trás da QOD Cosméticos, marca de beleza originalmente feminina que exporta seus produtos há 8 anos.
Foram os sócios que notaram que os homens também estão à procura de cuidados especiais. Criaram novos itens essenciais para barba, cabelo e bigode, como bálsamos, cera de cabelo e aftershave, tudo assinado pela QOD. À partir disso, decidiram traduzir esse conceito em um espaço físico.
barbearia (13 de 39)
barbearia (11 de 39)
O foco é trazer a influência europeia de barbearias oldschool aliada à uma nova tendência cada vez mais forte: a consciência da beleza masculina e a vontade de sentir-se bem.
Muitos dos clientes mais velhos entram na Barber Shop e revivem uma outra época de suas vidas. As cadeiras, que vieram de Hong Kong de navio, remetem à cultura do homem bem cuidado, que valoriza sua aparência, que há muito não aparecia por aqui.
barbearia (34 de 39)
barbearia (33 de 39)
Todos os móveis e peças decorativas são vintage e reformadas, com um modern twist. “Nosso espaço representa o velho abraçando o novo. Proporcionamos experiências, não apenas serviços”, conta João. Kits de barbeiro antigos, espelhos customizados com cintas de couro e outros artefatos transportam todo mundo às barbearias dos anos 50, cheias de charme. A trilha sonora, composta de Rock e Blues, completa a atmosfera nostálgica.
barbearia (35 de 39)
barbearia (31 de 39)
barbearia (32 de 39)
barbearia (27 de 39)
barbearia (29 de 39)
Barbeiros com experiências distintas fazem parte da equipe. Um cresceu no ambiente das barbearias antigas, e traz o elemento da tradição. Já os mais jovens, treinados nos melhores salões de Porto Alegre, acrescentam modernidade à mistura. Eles vão de undercuts à cortes de cabelo tradicionais e de clean shaves a bigodes desenhados. Tudo é levado em conta: o formato do rosto, o estilo, as preferências de cada um.
barbearia (22 de 39)
barbearia (15 de 39)
barbearia (5 de 39)
barbearia (6 de 39)
A fachada intriga pessoas de todas as idades, e a faixa etária dos meninos que procuram um bom barbeiro varia de 1 ano até 75 anos de idade. A conversa flui entre os clientes, o que torna o lugar um grande ponto de encontro, onde um novo lifestyle a seguir aparece, assim como parceiros para curtir um drink.
barbearia (25 de 39)
barbearia (12 de 39)
barbearia (19 de 39)
Além do trabalho com a navalha, a Barber Shop tem outros pontos fortes. O bar, que já é ponto de encontro de amigos, serve cervejas artesanais, whiskys e uma seleção de 15 tipos de café, escolhidos especialmente pelo barista da casa. É essa atmosfera descontraída, rústica e masculina que tem criado novas tradições a serem incluídas no dia-a-dia dos homens de todas as idades.
barbearia (26 de 39)
barbearia (39 de 39)
barbearia (4 de 39)
Oferece, por exemplo, o Dia do Noivo: duas horas cheias de relaxamento, drinks, cafés e serviços completos, que João chama de “Before the Storm”, preparam o noivo exigente e seus padrinhos para o grande dia. Além disso, outros pacotes diferenciados variam de R$ 20 a R$ 100 e garantem uma escapada da cidade para uma época diferente.
QOD Barber Shop – Rua 24 de Outubro, 524
Tel: 3391-3633

0 Comentários

Meca Festival Sul 2015

No último sábado choveu muito, mas não impediu o Meca Festival Sul de animar Maquiné. A quinta edição do evento trouxe Wannabe Jalva, Boogarins, Citizens!, a esperada AlunaGeorge e La Roux, que apesar das suspeitas de playback, fez geral cantar junto.
mecasul_098

mecasul_079

mecasul_080

mecasul_083

mecasul_086

mecasul_087

mecasul_088

mecasul_103

mecasul_111

mecasul_117

mecasul_118

mecasul_120

mecasul_127

mecasul_146

mecasul_149

mecasul_157

mecasul_165

Além dos shows, os Clubinhos deram bossa à Fazenda do Pontal. O Beco203 ocupou uma capela, na YOUCOM teve sorvete e DJ e no da I Hate Flash dava para realizar oficinas de grafite. A barbearia do Cubo e o Heráclito Tattoo também estavam por lá para quem quisesse dar uma mudada no visual e para quem estivesse com fome: food trucks para todos os gostos.

mecasul_173

mecasul_175

mecasul_192

mecasul_203

mecasul_218

mecasul_233

mecasul_235

mecasul_236

mecasul_243

mecasul_247

mecasul_253

mecasul_262

mecasul_270

mecasul_271

mecasul_274

mecasul_277

mecasul_282

Dá uma olhada no que rolou por lá:

mecasul_291

mecasul_292

mecasul_297

mecasul_298

mecasul_304

mecasul_305

mecasul_309

mecasul_325

mecasul_337

mecasul_345

mecasul_348

mecasul_351

mecasul_364

mecasul_368

mecasul_377

mecasul_378

mecasul_396

mecasul_405

mecasul_418

mecasul_419

mecasul_429

mecasul_435

mecasul_440

mecasul_450

mecasul_461

mecasul_464

mecasul_466

mecasul_474

mecasul_479

mecasul_494

mecasul_495

mecasul_496

mecasul_499

mecasul_504

mecasul_518

mecasul_520

mecasul_522

mecasul_524

mecasul_525

DSC_2523 - Cópia

DSC_2550 - Cópia

DSC_2573 - Cópia

DSC_2609 - Cópia

DSC_2617

mecasul_053

mecasul_058

mecasul_072

mecasul_076

Fotos: I Hate Flash

0 Comentários

Estamparia Digital

Dos dias 20 a 22 de janeiro Porto Alegre será a sede do curso “STAMP: Processo criativo e técnicas para estamparia digital”. As gurias que vão ministrar, Camila Wrass e Rafaela Camerini, focam principalmente na técnica para tornar a estamparia digital competitiva e com uma identidade mais fortalecida e independente na indústria da moda gaúcha. A ideia é capacitar profissionais fornecendo todo o suporte para o aprimoramento do conhecimento técnico e do processo criativo.

stamp 1 creditos reprodução

“O STAMP propõe o desenvolvimento de um novo olhar à estamparia através de diversas técnicas e ferramentas de construção gráfica”, comenta Camila. “Nós reunimos recursos teóricos e práticos para, justamente, fomentar o olhar e outros sentidos, instigando além do óbvio para a aprendizagem e desenvolvimento de padronagens”, define Rafaela.
O curso acontece no espaço coworking Esporo e tem curadoria do Entre Ellas. As aulas terão o amparo da metodologia do Duplo Diamante, conceito utilizado no Design Thinking e o mais legal é que ao final dos três dias de curso o aluno receberá em casa uma amostra de tecido com a própria estampa criada!
stamp 4 creditos reprodução

Quem ministra:

CAMILA WRASSE – Formada em Moda pela Universidade Feevale, é a idealizadora da empresa de estamparia W Estúdio, que hoje atua no desenvolvimento de padronagens para diversas áreas. Junto com a habilidade de criar estampas, descobriu que compartilhar é mais importante. Acredita que criar em um processo colaborativo é muito mais inspirador.
RAFAELA CAMERINI – Formada em Moda pela Universidade Feevale, participou do Estaleiro Liberdade 2012, Art of Hosting Florianópolis, Art of Hosting Porto Alegre, grupo de estudos sobre Comunicação Não-Violenta e TEDx Laçador 2014. Atua no planejamento estratégico do curso e na facilitação de processos criativos e de grupo.

Local: Esporo.cc (Praça Monsenhor Emílio Lottermann, 74), Porto Alegre
Horário: das 19h às 22h
Inscrições: Até o dia 19 de janeiro pelo e-mail fique@entreellas.com

0 Comentários

Curso de Verão ESPM: O Street Style na Moda e na Publicidade

Estamos bem contentes, vou ministrar em janeiro o curso de verão na ESPM com o tema: O Fenômeno Street Style: Moda e Comunicação.

Leaf Greener
O termo street style tem sido amplamente utilizado no mercado da moda e da comunicação. Os blogs são verdadeiros fenômenos que despertaram a atenção e interesse na publicidade de distintos segmentos desde a moda, design, tecnologia, gastronomia e bens de consumo em geral. Por que cada vez mais o olhar está voltado para as ruas? Por que os usuários consomem tantas referencias de street style? Entender esse contexto vai permitir ao aluno aplicar na prática em estratégias e campanhas de marketing e publicidade além de aplicar o street style nas técnicas de coolhunting e processos criativos.

O curso tem duração de 3 dias.
Quem ministra:
Claudinha Palma, Relações Públicas formada pela UFRGS, mestranda em Comunicação Social pela PUCRS. Pesquisadora dos fenômenos da comunicação na cultura digital. Professora na Escola do Marketing Digital e ESPM. É sócia da agência Browse, onde trabalha há 7 anoscom produção de conteúdo, gerenciamento e monitoramento de redes sociais e blogs. Co-fundadora dos blogs de moda e fotografia Street Style Porto Alegre Street Style SP. Estudou Coolhunting em Milão e é sócia-fundadora do Grupo Art&Fashion, grupo que promove cursos e encontros sobre design, moda, coolhunting e comunicação e que publicou no Brasil em 2014 o primeiro Manual de Coolhunting – Métodos e Práticas para tornar-se um observador do Zeitgest.

Informações e inscrições aqui.

Além desse, vou ministrar ainda o curso: Gestão de Marcas de Moda nas Redes Sociais (saiba mais aqui)

0 Comentários
Captura de Tela 2014-12-14 às 21.27.53

Faça sua busca através de tags

Web